quarta-feira, 16 de junho de 2010

ROCOCÓ



O estilo artístico Rococó teve sua origem na Fraça. No final do século XVII e início do século XVIII a França tornou-se a nação mais poderosa da Europa em termos miitares e culturais. Paris se transformou na capital das artes plásticas, posição que foi ocupada por Roma durante séculos. Nesse momento que surge o Rococó, estilo artístico que foi ao mesmo tempo um desenvolvimento e uma reação ao estilo Barroco e que se caracterizou pelo uso de formas curvas e pelo excesso de ornamentos, tais como conchas, flores e laços. O termo deriva do francês rocaille, que significa “incrustações de conchas, pedrinhas e fragmentos de vidro com que se enfeitam grutas”, e de uma combinação das palavras barroco e rocaille.
O Rococó se opôs ao espírito grandioso do Barroco, pois os franceses passaram a dar valor à elegância e à conveniência, quando o rei Luís XI começou a perder sua popularidade.

Em 1715, quando Luís XV, um jovem amante dos prazeres, foi coroado rei, a corte francesa mudou-se de Versalhes para Paris. Os ricos banqueiros e comerciantes parienses encontraram na arte uma forma de ostentar poder e de serem aceitos pela aristocracia. Dessa maneira, o Rococó estabeleceu-se como estilo dominante e permaneceu na França até 1780, período governado por Luís XVI, neto e sucessor de Luís XV. Por esse motivo o Rococó também ficou conhecido como estilo Luís XV .

Em contraste com o Barroco, as cores do Rococó são leves e vivas, o branco e os tons claros de rosa, azul, verde substituíram as cores sombrias e o excesso de dourado. As decorações se transferiam das igrejas e palácios para salas privadas. A intimidade, a alegria das expressões e cores e a predominância de temas que retratavam as futilidades da nobreza francesa são as principais características que identificam o Rococó.
Quanto à arquitetura, o estilo rococó manifestou-se principalmente nos interiores das construções. Paredes e tetos de salões eram ornamentados com pinturas suaves e elementos decorativos, como flores e laços . Em oposição à exuberância e riqueza dos interiores, as fachadas das construções no Rococó eram simples, as texturas suaves e as numerosas janelas substituíram o relevo abrupto das superfícies e as cores vivas utilizados anteriormente no Barroco.
Dan]ma e Cavalheiro com Duas Meninas - Lancret

Retratavam em suas telas as festas ao ar livre, muito comuns entre a nobreza do séculoXVIII.
Outra característica que predominou na pintura rococó foi a sensualidade. Frangonard tinha uma forte inclinação para a natureza, e na maioria de auas obras as figuras humanas se fundem com o volume e a exuberância da vegetação.

O Balanço - Fragonard
Notamos também a valorização dos objetos de decoração, móveis, estatuetas e demais utensílios de uso doméstico eram ricamente decorados. Merecem destaque especial os objetos de porcelana que, a partir de 1710, passaram a ser fabricados na Europa ao invés de serem importados do Oriente, como acontecia até então.

A partir de 1756 a Manufatura Real de Porcelana de Sèvres passou a produzir as mais finas porcelanas em grande escala. Dessa maneira a cidade de Sèvres, no norte da França, ficou famosa por produzir um dos materiais integrantes do Rococó.
Um bonheur-du-jour, secretária para a senhora de metades do século XVIII, peça feita por Martin Carlin com leve decoração floral e usado placas de porcelana de Sèvres. A curva suave das pernas sugere o fim do estilo Rococó.


Jarro de porcelana de Sèvres, par de xícaras francesas e fruteira da Companhia das Índias do século XVIII.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário